eBooks Amazon

Traduzir Dê Português para Chinês Traduzir Dê Português para Espanhol Traduzir Dê Português para Italiano Traduzir Dê Português para Françês Traduzir Dê Português para Inglês Traduzir Dê Português para Alemão Traduzir Dê Português para Japonês Traduzir Dê Português para Russo
TRANSLATE

Sardenha é uma ilha cercada de pizzarias por todos os lados.



São Teodoro, Ilha da Sardenha, Itália


Eu venho de uma ilha, Florianópolis. Supus que ao chegar em outra ilha (mesmo que sendo em outro país em um outro continente) não me surpreenderia... Conheço um pouco da Itália, já estive em Roma, Bozano e Veneza, em ocasiões e férias distintas. Turistas internacionais abarrotam essas cidades, então, embora já tenha estado tantas vezes nesse país (e até mesmo por ter sogros italianos), tudo que sei é que eles conseguem se comunicar e entender mesmo tendo oito pessoas falando ao mesmo tempo, e nada mais... Sardenha é um lugar de turismo, mas principalmente o nacional, tem lá uns gatos pingados de franceses, espanhóis e alemães (os alemães estão por toda parte, tal qual mosquito), mas os italianos – de todas as partes do país – predominam, e foi nessa ocasião (na Sardenha) que pude observá-los um pouco melhor...
Ficamos em São Teodoro (Santu Tiadoru), uma praia atípica (pelo menos para mim), cercada de montanhas e mulheres fazendo Topless, com restos de tomate e caroços de azeitona esquecidos na areia das praias. Os italianos (mesmo desconhecidos) ficam todos agrupados, uns em cima dos outros, como se fossem uma grande família. Eles não se espalham, não procuram individualidade e solidão, querem estar próximos e conversar, fazem amizade com quem está do lado, formam mesas quilométricas em restaurantes. Uma loucura! Os quiosques vendem pizza. Os restaurantes e padarias vendem pizza. Os botecos vendem pizza. Só não vi pizza em farmácias. Sardenha é uma linha cercada de pizzarias por todos os lados! No trânsito por mais furreca que seja, há confusão, os italianos adoram se xingar enquanto dirigem, sempre com uma mão para fora da janela do carro. Ainda no terceiro dia estava assustada, no quarto acostumada, e no quinto, já comecei a xingar também (eu me adapto muito fácil a cultura alheia). Escutei e falei muito “Vaffanculo” com uma espontaneidade praticamente nativa.  Meu marido é filho de italianos, mas fala o idioma tão ruim quanto eu. Entramos em um restaurante, ele tentou fazer o pedido em italiano, mas algo aconteceu, ele deve ter tido uma momentânea paralisia cerebral, pois embora olhasse para o garçom e o garçom para ele, nenhuma palavra saiu de sua boca. 

Falando em garçons... Mamma mia! O caos no serviço italiano já não era uma surpresa para mim que mais de três vezes (em Roma e Veneza) fui esquecida em uma mesa, sem conseguir pagar a conta, depois de comer o que não havia pedido (pois o garçom havia trocado os pedidos e voltado a trocar, mesmo depois que reclamei). Na Sardenha, encontramos um restaurante agradável, onde o garçom tinha uma mania “simpática” de escolher a comida por nós e sempre se antecipar ao que queríamos dizer. Tínhamos vontade de comer lasanha, mas ele nos convenceu a comer peixe (que ele mesmo preparou, acrescido de meio litro de azeite de oliva). Queríamos tomar cerveja, mas tomamos vinho tinto da casa (em pleno verão de 35 graus)! Queríamos agua com gás, mas acabamos tomando sem. Queríamos um prato de frutos do mar para compartir, mas acabamos com dois pratos, pois ao que tudo indica, os restaurantes italianos não gostam de mesquinharia. Estava na praia para comer peixe, mas essa mania insuportável que os italianos têm de colocar azeite de oliva em tudo, estragou o meu apetite. O garçom suava e corria de lá para cá, gritava e apontava para todos os lados, enquanto nós ficávamos sensibilizados por ele, comendo e bebendo o que não havíamos pedido, apenas para não estressá-lo com nossa viadagem de clientes.
Não sei por que, mas ao invés de falar português ou espanhol (línguas muito mais próximas do italiano), da minha boca só saiam palavras em alemão. Meu marido não gosta de falar alemão quando saímos de férias para não correr o risco de encontrar outros alemães e ser obrigado a encabeçar diálogos que não quer, apenas porque procedem do mesmo lugar e falam a mesma língua. Ele pede para mim, encarecidamente: “Não fale alemão!”, mas da minha boca, ainda que palavras curtas, só sai esse idioma. Tenho um problema! Poderia dizer: “Buon giorno”, Grazzie” ou “Excusi”, mas não... Só consigo dizer “Guten Tag”, “Danke”, “Entschuldigung...” Ele me olha atravessado, exige que ao menos eu fale em português (já que não consigo falar italiano), mas sem querer, continuo dizendo: “Danke, danke, danke...”. Eu tento falar português com uma garçonete, mas sequer meu próprio idioma obedece minha vontade. Não sei falar português na Itália, não sei falar português com quem não é brasileiro! Essa não é a primeira vez que isso sucede... Certa, vez, tomávamos um vinho no hotel onde estávamos hospedados em Roma e um casal de portugueses sentou no sofá a nossa frente. A portuguesa mulher estava deslumbrada por que eu era brasileira, e finalmente, após três semanas de estada em Roma, falando apenas inglês, ela podia falar em seu idioma  com alguém. Em minha delinquência mental (ou porque eu e meu marido já havíamos derrubado uma garrafa de vinho) ao escutar o acento lusitano da mulher, só consegui respondê-la em espanhol. Tentei me desculpar, procurei uma justificativa que explicasse meu comportamento, mas a portuguesa perdeu sua alegria inicial e se retirou, alegando estar com sono. Afugentei a mulher em menos de dez minutos de conversa! Sou um monstro!
Não é segredo para ninguém sobre a moda italiana e seu sucesso no mundo, suas famosas marcas, seus estilistas, e bla bla bla... No entanto, jamais poderei entender que em uma cidade de praia, no verão, em plenos 35 graus, as mulheres usem botas! Os homens, cachecol! Que biquínis e sungas tenham a estampa dos E.U.A. e do Brasil! Na areia da praia, os homens desfilam como se estivessem em passarelas, as mulheres fazem caras e bocas, como se Paparazzi estivessem atrás delas, escondidos, flagrando-as em seus melhores momentos. Fotos e clicks. Um italiano com trajes de praia é pior do que um japonês em uma cidade desconhecida (claro, desde que ambos estejam armados com uma câmera fotográfica). 

Falando em Brasil agora... Resolvemos fazer “macarrone” e jantar em casa. Na TV só havia Sopranos e filmes dublados em italiano, mudamos os 150 canais e nada surpreendente. Assistimos as paradas do sucesso da MTV Music. Mais de uma hora vendo vídeos, apostando qual seria a primeira, o Top de sucesso... Qual nossa surpresa quando vemos Tche Tchere re tche tche como a música Top das Tops na Itália? Meu queixo caiu, mas algo de orgulho estava ali, mesmo sendo com “Gustavo Lima e você”! Por obrigação, tentei compreender a letra na música, mas descobri que ela não diz nada. Uma música inteira e dez palavras! Isso é tudo! Sei que Tche tche tche também é sucesso no Brasil, mas a única explicação que encontro para ela ter estourado também na Europa é porque ninguém por esse lado de cá entende a letra... Melhor assim, continuaremos fazendo sucesso com essas músicas que não dizem nada...

Sessão foto:














Nota: Sardenha é uma ilha do Mar Mediterrâneo ocidental , cuja capital é Cagliari. Situada a oeste da Península Itálica, sul da Córsega e norte de Tunísia. O clima é mediterrânico, com temperaturas que podem ser muito quentes, chegando mesmo aos 45°C, o que é propício à ocorrência dos incêndios frequentes.

6 comentários:

  1. Feliz da você por não falar o português Brasuca, pois poderia até se dá mau, não sei na Itália, mais em Portugal e Espanha a coisa está pegando para os brasileiros. Risadas...
    Beleza de lugar esse aí na Sardenha, espero um dia conhecer a Europa como conheço o nosso pais, pelas caminhadas fotográficas que já fiz.
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. mais um relato divertido e agradável... muito legal vc compartilhar essa experiencia assim de forma tão espontânea... e até pegou um bronze!

    JOPZ

    ResponderExcluir
  3. Geyme querida...
    que bom! tive uma surpresa (desagradável) com o tratamento dos italianos em março, muito bom saber que não é pessoal... ahahahaha
    Nos veremos em Frankfurt na messe?
    beijo
    Mara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh entao, teremos que trocar umas figurinhas, haha Vou querer saber como foi sua experiencia por lá!!
      Já estou ansiosa pela feira! Com certeza nos veremos em Frankfurt em breve!!
      Mega beijoooooo

      Excluir
  4. Que bonitas tus fotos Geyme. Como te dije en el Face, me ha gustado bastante Cerdeña por lo que nos has mostrado.
    Saludos
    David
    Pd: Ahora mi blog es observandocine.com :)

    ResponderExcluir
  5. Amizade é assim:

    É saber o momento de ficar calado
    Amizade é somar alegrias, dividir tristezas.
    É respeitar o espaço e silenciar o segredo.
    É a certeza da mão estendida.
    A cumplicidade que não se explica, apenas se vive.

    Tenha uma semana cheia de bênçãos.
    Toninha

    Twitter @toninhavr
    Blog http://cantinhodatoninha.blogspot.com.br/
    E-mail toninhavr@hotmail.com
    Face ToninhaFerreira
    FanPage Educar – O primeiro passo

    ResponderExcluir

1. Está vetado o linguajar muito sacana ou ofensivo - salvo exceções bem aceitas, do tipo: xingar o próximo (isso pode!).

2. Se quiser delirar, procure a torcida do flamengo, pois de sacana aqui já basto eu!

3. A gerência de marte agradece a compreensão!

Boutique de Ideias

E você, já pegou no livro hoje?

Ebook de Segundas Intenções na Amazon

eBook Best Seller na Amazon: Segundas Intenções

Oi gentem! Tudo certinho com vocês? Eu não poderia estar melhor! Rezemos! J ;)  A promoção dos meus eBooks na A...

Qualquer semelhança desse blog com a realidade, é pura cagada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Compartilha mais essa asneira também, bro!!!